Home > Notícias do Centro > Notícias > Artistas da 33ª Bienal participam do open studio na Residência Artística da FAAP

Artistas da 33ª Bienal participam do open studio na Residência Artística da FAAP

26/09/2018

Investigações e processos de trabalho serão apresentados em espaço que fica dentro de edifício histórico, no centro de São Paulo

 

Mantida pela Fundação Armando Alvares Penteado desde 2005 em um prédio histórico no Centro de São Paulo, a Residência Artística FAAP abre suas portas no próximo dia 29 de setembro para apresentar ao público as pesquisas, projetos e obras de artistas brasileiros e estrangeiros.

 Os artistas que participam do Open Studio são do Brasil, Argentina, África do Sul, Estados Unidos e França. Quatro deles participam da 33.ª Bienal de São Paulo: Mame-Diarra NIANG, Daniel Bozhkov, Tamar Guimarães e Lhola Amira. Há ainda aqueles selecionados diretamente pela FAAP, como Ícaro Lira, Ana Matheus Abbade, Nani Lamarque e Lino Divas. 

 "Procurada por artistas de todo o mundo, a Residência Artística FAAP abriga aqueles que estão em busca de novas possibilidades de pesquisa, de entrar em contato com outros profissionais, conhecer lugares distintos dos seus habituais e experimentar novos contextos e processos para sua produção e práticas artísticas", explica o professor Marcos Moraes, coordenador dos programas de residências e dos cursos de Artes Visuais da FAAP.

 A Residência Artística funciona no Edifício Lutetia, projetado pelo arquiteto Ramos de Azevedo e inaugurado na década de 1923. O prédio também abriga o MAB Centro, uma extensão do Museu de Arte Brasileira da FAAP.

 Neste mesmo espaço, também será realizada, de 29 de setembro a 8 de dezembro, a exposição "Entretempos", reunindo obras dos artistas formados pela FAAP no primeiro semestre de 2018. "Esta é uma possibilidade de início na vida profissional dos jovens recém-formados no curso de Artes Visuais da FAAP, articulando a bagagem adquirida ao longo dos anos de estudos e experimentações na instituição", afirma Marcos Moraes.

 A participação do público no Open Studio FAAP e na exposição "Entretempos" é gratuita.

Open Studio
Data: 29/9 (sábado)
Horário: das 12h às 17h
Local: Residência Artística FAAP
Endereço:  Praça do Patriarca, 78 (Edificio Lutetia)
Informações: (11) 3101-1776 ou  resartisfaap.info@faap.br
Entrada gratuita

Entretempos

Período de visitação: De 29/9 a 8/12

Horário: de segunda a sábado, das 11h às 17h - última entrada às 16h30 (Fecha aos domingos e aos feriados).

Local: MAB-Centro - Ed. Lutetia - 2º andar

Endereço:  Praça do Patriarca, 78 - Sé

Informações: (11) 3101-1776 ou resartisfaap.info@faap.br

Entrada gratuita

 Sobre a Residência Artística FAAP

Concebida tendo como referência a experiência da FAAP com a da Cité des Arts, em Paris, a Residência Artística FAAP possui dez amplos estúdios para que os artistas - que passam pelo processo de seleção da Instituição - possam desenvolver projetos, troca de experiências e de conhecimentos, entre si, com a cidade, com a comunidade artística e também com alunos e professores da FAAP.  As residências podem ser consideradas, atualmente, uma das formas mais significativas de apoio e incentivo ao desenvolvimento de pesquisa em artes. A da FAAP está instalada no histórico edifício de Ramos de Azevedo, no centro velho da capital paulista, palco de manifestações culturais e artísticas.

 

PERFIL DOS ARTISTAS DO OPEN STUDIO FAAP

 

DANIEL BOZHKOV

Com projeto sendo apresentado na 33.ª Bienal de São Paulo, é um artista búlgaro nascido em Nova York. Ele emprega uma variedade de mídias, desde afresco até performance e vídeo, e trabalha com profissionais de diferentes áreas para ativar o espaço público. É professor associado de Arte na Hunter College, de Nova York, e coleciona diversos prêmios, como o Prix de Rome da American Academy.
 

TAMAR GUIMARÃES

Vive e trabalha com filme, som e instalações entre Copenhague, Dinamarca e Trancoso (BA). Sua obra se baseia em pesquisa histórica e frequentemente incorpora materiais como fotos, textos, documentos e objetos. O reprocessamento dessa matéria-prima produz narrativas de natureza híbrida entre o documentário, o ensaio e a ficção. Destaque para suas exposições individuais, como The Florists from Beyond the Grave, SKMU Sørlandets Kunstmuseum, Kristiansand e Pink Summer, entre outras.  Artista participante da 33.ª Bienal de São Paulo.

 

MAME-DIARRA NIANG

Mame-Diarra Niang nasceu em 1982, em Lyon, na França. É uma das participantes da 33.ª Bienal de São Paulo. É fotógrafa e artista autodidata. Em suas criações, prefere explorar a temática da "plasticidade do território". Sua primeira exposição individual na África do Sul, At the Wall, aconteceu em Stevenson, em Joanesburgo. Niang foi destaque em Strange Attractors, um projeto de publicação curatorial lançado na 10.ª Bienal de Berlim. Recentemente, conduziu uma residência intitulada Black Hole no quinto andar do Stevenson Gallery, em Joanesburgo.

 

LHOLA AMIRA

Também presente na 33.ª Bienal de São Paulo, Lhola Amira nasceu em 1984 em Gugulethu, na África do Sul, e atualmente vive e trabalha na Cidade do Cabo. Ela se descreve como uma presença ancestral, em vez de uma persona, que coabita o mesmo corpo do curador e acadêmico Khanyisile Mbongwa. Amira aparece como uma manifestação espiritual através do corpo físico de Mbongwa ? uma prática comum no espiritualismo da África Meridional. O principal interesse de Lhola Amira é em locais históricos de violência, e sua prática utiliza gestos de cura coletiva, além de falar da sobrevivência de indivíduos negros.

 

 ÍCARO LIRA

Vive e trabalha em Fortaleza (CE). Artista Visual, editor e investigador, com pesquisa desenvolvida no âmbito do documentário experimental. Nos últimos anos, vem analisando as implicações e os desdobramentos de atos políticos e históricos do Brasil através de um trabalho documental, arquivista, arqueológico e de ficção. Suas exposições apresentam estruturas similares a pequenos "museus", onde reúne fragmentos esquecidos, produzindo um sistema de objetos que articula materiais artísticos e não-artísticos, e um conjunto de ações, não necessariamente confinadas a um objeto artístico, mas dispersas em exposições, livros, oficinas, debates, caminhadas, etc.

 

NANI LAMARQUE

Nani Lamarque nasceu em 1985, em Buenos Aires. Na universidade teve aulas com os artistas Pablo Siquier, Carlos Bissolino, Leila Tschopp, Viviana Blanco e Catalina Leon. Participou da oficina de Pablo Siquier e Agustin Fernandez Produccion Teorica / Produção Conceitual. Recebeu uma bolsa de estudos do Fundo Nacional de Artes (Fondo Nacional de las Artes) / CCMHC e também foi selecionado para o Laboratorio de Cine na Universidade Torcuato Di Tella. Fez parte, ainda, do Programa para Artistas da Universidade Torcuato Di Tella, liderada por Ines Katzsentein e Diego Bianchi.

 

LINO DIVAS

Lino Divas nasceu em 1981. Vive e trabalha em Buenos Aires. Suas obras são expostas, de forma individual ou coletiva, em espaços de arte contemporânea, museus e áreas independentes da Argentina, Chile, México, Itália e Estados Unidos, além de vários meios virtuais. Convicto do potencial do trabalho colaborativo, Divas participa e interage com inúmeros projetos autônomos de artes visuais. Desde 2005, faz parte do prestigiado F.D.A.C.M.A. (Fundação para a Difusão da Arte Contemporânea no Mercosul e Arredores), que desenvolve inúmeros projetos em busca da circulação, visibilidade e legitimação de bens simbólicos no Cone Sul.

 

ANA MATHEUS ABBADE

Ana Matheus Abbade nasceu em 1996, no Rio de Janeiro. É artista, manicure e pedicure. Frequentou a Escola de Artes Visuais do Parque Lage no Rio de Janeiro. É formada em Manicure e Pedicure pelo SENAC São Paulo. Colabora com o Grupo Liberdade/Santa Diversidade (São Gonçalo, RJ). Desde 2016 realiza o evento anual Manicure Show. Ana participou de exibições nacionais e internacionais, como a coletiva "Os Corpos são as Obras" (Despina, Rio de Janeiro, 2017) e a individual "Peixe Voador - Flying Fish" (Apoidea Kunst, Berlim, 2017).

 

 

Deixe Seu Comentário:

Gostou? Então compartilhe.