Home > Notícias do Centro > Notícias > Ciclovias chegam ao Centro Histórico causando transtornos

Ciclovias chegam ao Centro Histórico causando transtornos

21/08/2014

A implantação de ciclovias no Centro de São Paulo vem causando polêmica entre os moradores, comerciantes e usuários da região. 

Muitas vias do Centro são estreitas, fato que normalmente gera congestionamento de veículos. No Centro Histórico isso se agrava. Em ruas como a Líbero Badaró, Benjamin Constant e Boa Vista, que tinham seus dois lados já totalmente ocupados por pontos de ônibus, de táxis, de motos e zonas de carga e descarga, a chegada das ciclovias acentua o problema. São ruas em que o estacionamento de veículos particulares de passageiros é proibido, sendo permitido apenas efetuar breves paradas para o embarque ou desembarque de passageiros.

O mais recente trecho de ciclovia no Centro foi instalado na noite desta quinta-feira (21) no entorno da Praça da Sé. Ao lado da Catedral da Sé já existe uma ciclofaixa, na qual bicicletas só podem circular aos domingos, das 7h00 às 16h00. Segundo a CET, a ciclofaixa será unificada à ciclovia, passando a poder ser usada todos os dias da semana.Homem Transporta Mercadorias Entre Os Veículos

Os estabelecimentos do calçadão interno do anel formado pelas ruas Boa Vista, Líbero Badaró e Benjamin Constant são abastecidos por meio desse anel. Todavia, como os 1.82 quilômetros de ciclovias do Centro Histórico estão posicionados junto ao calçadão, todos os veículos são agora obrigados a parar no lado oposto da rua. As mercadorias têm que ser transportadas até os estabelecimentos entre os veículos e as pessoas têm que atravessar a rua para chegar ao calçadão, o que pode causar mais congestionamento e até acidentes.

A título de comparação, um quarteirão padrão tem cerca de 10.000 metros quadrados, tendo portanto 25 metros quadrados em cada metro de meio-fio (ou guia, utilizada para separar a calçada da rua). O calçadão do Centro Histórico possui uma área com aproximadamente 180.000 metros quadrados, deixando cerca de 100 metros quadrados a cada metro de meio-fio. Com a chegada da ciclovia, esta área foi reduzida a zero. O posicionamento da ciclovia também obriga os pedestres a atravessarem-na para chegarem a pontos de ônibus e estações de metrô, situados do lado oposto do calçadão.

A Associação está preparando uma correspondência ao Subprefeito da Sé Alcides Amazonas e ao Secretário Municipal de Transportes Jilmar Tatto externando suas colocações a respeito. 

Com o intuito de debater o tema, a Associação Viva o Centro irá receber na quinta-feira (28) Alexsandro Almeida, responsável da CET pela implantação de ciclovias, que irá explicar à população da região central os detalhes e critérios da instalação das ciclovias e também como está sendo feita a integração com os restantes equipamentos do Centro. Inscreva-se!

Deixe Seu Comentário:

10 Comentários

  1. Gravatar of Esther Sá
    Esther Sá Postado quarta-feira, 27 de agosto de 2014 às 19:10:09

    Sério mesmo, gente?
    Em todos os países do mundo onde a malha cicloviária foi ampliada o trânsito e a saúde da população melhorou. Agora aqui, com menos de seis meses de implantação, vocês já querem derrubar um avanço histórico em prol do meio ambiente.
    Parece que gostam de engarrafamento e entupimento de artéria, hein?

    Ps: sou moradora do centro há dez anos e essa opinião NÃO me representa.

  2. Gravatar of Claudio Kerber
    Claudio Kerber Postado quarta-feira, 27 de agosto de 2014 às 19:16:44

    Gente, esse título está um tanto tendencioso para propor uma discussão.

    Vai haver alguma discussão amanhã ou a reunião é apenas para ratificar uma posição já escolhida?

    No texto:

    "Muitas vias do Centro são estreitas, fato que normalmente gera congestionamento de veículos."

    Amigos, que tal refazer a frase?

    "Carros demais circulam pelas ruas estreitas do centro o que gera congestionamento e dificulta a vida de quem circula a pé ou de bicicleta"

  3. Gravatar of Alex
    Alex Postado quarta-feira, 27 de agosto de 2014 às 19:16:51

    Moro no centro e manifesto meu total apoio a implantação da Ciclovias, pois creio que é um avanço na política de mobilidade urbana da cidade. O fato das pessoas terem de atravessar a rua para fazer o descarregamento pode ser solucionado se elas utilizarem as faixas de pedestres. Lembremos que em shoppings centers os entregadores muitas vezes tem de atravessar diversos andares e nenhum entregador para na porta da loja

  4. Gravatar of Lara Carolina
    Lara Carolina Postado quarta-feira, 27 de agosto de 2014 às 19:25:48

    O que causa congestionamento, o que causa transito e lentidão de veículos é o enorme número de veículos que circulam nas ruas, e não a implantação de ciclovias.
    O que causa transtorno, acidentes, e congestionamento é a carrocracia, e nao a implementação de um sistema que permite que a bicicleta seja finalmente utilizada como um meio de transporte na cidade, e não apenas para hobbie em domingos!
    Sou moradora do centro a dez anos, resido na santa cecilia, primeiro local onde as ciclovias começaram a ser instaladas,e sou totalmente a favor da implantação e extensão da rede de ciclovias na cidade toda, principalmente no centro!
    Apenas para constar, nas cidades consideradas "primeiro mundo" onde tudo que se faz é aplaudido, como madrid e barcelona o trafego de veiculos no centro é dificultado ao maximo, existem áreas onde esses nem podem trafegar! e totalmente proibido parar em qualquer rua do centro expandido em cidades como madrid e barcelona, so se pode parar em estacionamentos da prefeitura! E o comercio funciona muito bem obrigada, e a vida da cidade funciona muito bem obrigada!
    Uma indicação de leitura pra quem escreveu esse belo texto:
    http://www.cartacapital.com.br/blogs/outras-palavras/da-ciclovia-de-copenhague-a-de-sao-paulo-o-porque-das-bicicletas-4969.html
    Extraido do texto caso a preguiça de ler seja muito grande:
    "As experiências em outras grandes capitais com problemas de trânsito mostraram um histórico semelhante. Não se faz uma ciclovia a partir da demanda gerada por ciclistas, mas sim para convidar as pessoas a optarem por outros meios de transporte, que não o carro. Sabemos que cada cidade possui a sua peculiaridade, e deve buscar soluções específicas para seus problemas. Entretanto, alguns exemplos podem nos inspirar, ou no mínimo nos fazer entender que os processos de mudança não ocorrem com tanta rapidez."
    E acredito que um site como o do vivaocentro deveria filtrar melhor o que é postado aqui!

  5. Gravatar of Bruno Giorgi
    Bruno Giorgi Postado quarta-feira, 27 de agosto de 2014 às 19:57:09

    O título fala de transtornos, mas não especifica para quem.
    Para os motoristas, claro.

    Se posicionando contrariamente à implantação das ciclovias e à democratização do uso do espaço público a Associação se vê apegada ao modelo de desenvolvimento que mais deteriorou o centro de SP.
    O modelo de desenvolvimento baseado no automóvel em detrimento de todos os outros meios de transporte.
    O modelo de desenvolvimento responsável pelo Minhocão, de túneis e viadutos inóspitos à quem não está dentro de um carro (e à quem está dentro também).
    O modelo de desenvolvimento em que as pessoas só passam pelo centro e não o vivenciam.

    Transtorno é a falta de opções para se deslocar de outra forma que não seja de carro.

  6. Gravatar of Ricardo Silveira
    Ricardo Silveira Postado quarta-feira, 27 de agosto de 2014 às 22:27:16

    Que porcaria, hein Viva o Centro? Que tipo de Centro vocês querem, afinal? Achei que eram sérios e favoráveis às melhorias. Decepção.

  7. Gravatar of Alexander
    Alexander Postado quinta-feira, 28 de agosto de 2014 às 03:50:51

    Sou morador do centro há mais de 3 décadas e essa matéria tendenciosa NÃO ME REPRESENTA. Vivenciei ano após ano o problema do aumento do trânsito até chegar a quase paralisação total em muitos dias. Com os corredores de ônibus e ciclovias há uma política de tentativa de transformação dessa cultura individualista e egoísta do automóvel. Uma lástima que organizações como essa primem pelo reacionarismo e pela ignorância que olha apenas para o umbigo e não percebe os benefícios a médio e longo prazo que essas medidas podem gerar. Viva o centro para quem? Para o caos do trânsito monopolizado pelos automóveis particulares e pelos comerciantes tacanhos? Com ciclovias mais pessoas podem realmente vir ao centro e vivê-lo. A organização Viva o Centro está com receio que venha "gente diferenciada" ou o quê? Por mais ciclovias e mais corredores de ônibus. Por uma São Paulo mais humana.

  8. Gravatar of Thiago
    Thiago Postado quinta-feira, 28 de agosto de 2014 às 12:29:00

    Que decepção, hein?
    Acho que vocês precisam estudar melhor a parte "Quem Somos" de seu próprio site. Não é possível que eu esteja lendo uma matéria tão tendenciosa e tacanha como essa.

  9. Gravatar of Fabio Trajano
    Fabio Trajano Postado quinta-feira, 28 de agosto de 2014 às 13:16:32

    Faz assim, desapropria casas, prédios e estabelecimentos comerciais para ampliar as ruas.

    Viva o Centro, e todas as regiões só vão ter vida se houver mobilidade. São Paulo não comporta mais. Não adianta rodízio, alargar marginais, rodoanel.

    Comerciantes, maior mobilidade significa seus negócios prosperando. De que adianta ter carro parado em frente sua loja? Mais ciclistas, mais gente circulando.

    Isso não é uma guerra. O ciclista está contribuindo para uma cidade melhor, com mais mobilidade, menos poluída, sem congestionamentos, fazendo bem para saúde e acima de tudo com respeito e cidadania.

    Juntem-se a nós ciclistas. Vamos melhorar nossa cidade

  10. Gravatar of Felipe Zveibil
    Felipe Zveibil Postado terça-feira, 2 de setembro de 2014 às 03:14:24

    Sou morador do Centro e as ciclovias tem me trazido enorme alegria, são uma mudança que sempre esperei ver por aqui e pelo resto de São Paulo. A matéria é tendenciosa e não me representa.

Gostou? Então compartilhe.