Home > Notícias do Centro > Notícias > Exposição, palestras, shows e cursos no Espaço Cultural Porto Seguro em abril

Exposição, palestras, shows e cursos no Espaço Cultural Porto Seguro em abril

10/04/2018

Durante o mês de abril, o Espaço Cultural Porto Seguro promove diversas atividades culturais que dialogam com as duas exposições atualmente em cartaz. Amostra Carlos Garaicoa: Ser Urbano, do artista multidisciplinar cubano Carlos Garaicoa, reúne oito obras que discutem temas que impactam diretamente na formação das subjetividades e dos conhecimentos do mundo contemporâneo. O artista estará presente no dia 14 de abril, para falar, ao lado de João Fernandes (vice-diretor e curador do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, de Madrid), sobre processos artísticos e os caminhos globais de circulação dos trabalhos artísticos.

A exposição Campos Elíseos com imagens do fotógrafo Juan Esteves traz um conjunto de 40 fotografias que fazem parte de um projeto de registro da arquitetura paulistana do centro histórico da cidade.

 Além de encontros, workshops e cursos, dias 28 e 29 de abril acontece mais uma edição do projeto Versão na Praça, com artistas da cena musical contemporânea em releituras de obras de músicos consagrados. No sábado (28), Débora Reis canta as canções consagradas da rainha do rock Rita Lee e, no domingo (29), Felipe Mafraapresenta os sucessos internacionais de Bon Jovi. Em parceria com o Mercado Buenos Artes, feira itinerante de gastronomia, design e moda, o evento traz também, nesta edição, uma seleção especial de designers, artistas, estilistas, ilustradores, artesãos e produtores de comidas e bebidas artesanais.

 O PortoFabLab e o Ateliê Experimental seguem com suas atividades regulares de orientação de projetos e OpenDay.

 

Confira abaixo a programação completa:

 

***
Exposição

Carlos Garaicoa: Ser Urbano - Até 6 de maio

 

A exposição apresenta a produção recente de um dos mais conceituados artistas latino-americanos da contemporaneidade. Os trabalhos apresentados propõem reflexões acerca das relações entre arquitetura, urbanismo e geopolítica. Carlos Garaicoa, reconhecido internacionalmente por seu trabalho artístico sobre as cidades, traz para São Paulo uma mostra de oito trabalhos, entre instalações, vídeos, maquetes e desenhos, com curadoria de Rodolfo de Athayde.

Datas e horários:  de 7 de fevereiro a 6 de maio, com visitação de terça a sábado, das 10h às 19h.

Grátis.

Classificação indicativa: livre

*Última entrada até 30 minutos antes do encerramento

 

***

Campos Elíseos - Até 3 de junho.

Campos Elíseos é uma exposição inédita de imagens do fotógrafo Juan Esteves. A mostra reúne um conjunto de 40 fotografias que fazem parte de um projeto de registro da arquitetura paulistana do centro histórico da cidade. Para a empreitada, que já dura dez anos, o fotógrafo tem como parceiro o curador de arte e historiador Antonio Carlos Suster Abdalla.

 

Datas e horários:  de 18 de março a 3 de junho, com visitação às segundas-feiras, das 9 às 19 horas; de terça a domingo, das 9 às 21 horas.

Grátis.

Classificação indicativa: livre.

Entrada pela Torre A - Complexo Cultural Porto Seguro.
Alameda Barão de Piracicaba, 740 - Térreo.

 

****

Shows e feira gastronômica

 

Versão na Praça - Dias 28 e 29 de abril

 

O Espaço Cultural Porto Seguro promove shows e feira de artes e gastronomia em parceria com o Mercado Buenos Artes.

O projeto Versão na Praça apresenta artistas da cena musical contemporânea em releituras de obras de músicos consagrados. No sábado, Débora Reis canta as canções consagradas da rainha do rock Rita Lee e, no domingo, Felipe Mafra apresenta os sucessos internacionais de Bon Jovi. Além disso, uma programação especial foi preparada para crianças com apresentações da Banda Estralo (sábado) e Isadora Canto (domingo).

Em parceria com o Mercado Buenos Artes, feira itinerante de gastronomia, design e moda, o evento traz também nesta edição uma seleção especial de designers, artistas, estilistas, ilustradores, artesãos e produtores de comidas e bebidas artesanais. Na parte gastronômica, estandes oferecerão opções variadas, entre petiscos, hambúrgueres, empanadas, pizzas, risotos, massas, ceviche e sorvetes. Também haverá bancas de pão artesanal, mel, queijos especiais e antepastos.

Em ambos os dias, entre as apresentações, o som fica por conta das playlists do DJ Formiga.

Sobre o Mercado Buenos Artes

Evento periódico com o propósito de valorizar os espaços livres públicos e instituições culturais da cidade incentivando a economia criativa, promovendo pequenos produtores e o mercado justo de design, produtos sustentáveis, moda, gastronomia e música, para o convívio dos usuários locais, moradores, cidadãos, turistas, público em geral gerando trocas e experiências.

A entrada é franca e o evento é "pet friendly". Para quem vier de transporte coletivo pode usar nossas vans gratuitamente tanto para chegar quanto para voltar. Elas saem da Estação da Luz, acesso pela saída da Rua José Paulino/Parque da Luz.

 

Dia 28 de abril - sábado

11h - Banda Estralo

Em um show marcado pela diversão, a Banda Estralo apresenta um repertório repleto de poesia, cores e ritmos da música brasileira utilizando diversas linguagens artísticas, como teatro, dança e performance.

O grupo é composto por Marcos Lucatelli (voz e violão), Luanda Eliza (voz e performance), Lilyan Teles (voz, performance e escaleta), Mauricio Damasceno (percuteria) e Edson Barreto "Renatinho" (baixo). Os artistas criam arranjos para canções já consagradas em uma narrativa dramatúrgica única.

 

15h - Débora Reis canta Rita Lee

A atriz e cantora Débora Reis se junta a sua banda para prestar homenagem a Rita Lee, em sucessos como Ovelha Negra, Erva Venenosa, Mania de Você, Lança Perfume, Baila Comigo e Caso sério estarão no show exclusivo para esta edição do Versão na Praça.

 

Dia 29 de abril - domingo

11h - Isadora Canto - Vida de Criança

O show Vida de Criança reflete sobre questões da infância com a proposta de cantar sobre as descobertas naturais dos pequenos em um show minimalista. Suas músicas refletem sobre o contato dos pequeninos com os sons da natureza, os brinquedos artesanais e o reconhecimento do próprio corpo. No repertório, músicas de seu último disco, Vida de Criança, algumas músicas do álbum anterior, Vida de Bebê, além de canções inéditas.

 

15h - Felipe Mafra canta Bon Jovi

O ator, cantor e compositor Felipe Mafra canta os sucessos de 35 anos na estrada de Bon Jovi e canções marcantes dos anos 80 e 90, entre eles, Living on a Prayer, You Give Love a Bad Name, Dead or Alive e It´s my Life.

 

Datas e horários: 28 e 29 de abril, sábado e domingo, das 9h às 18h.

Classificação etária: livre.

Entrada gratuita, não é necessária retirada de ingressos.

 

****

Atividade gratuita

Uma sinfonia da cidade, com Carlos Garaicoa e João Fernandes - Dia 14 de abril

 

O artista Carlos Garaicoa estará presente na exposição em conversa com João Fernandes, curador do Museu Reina Sofia, para um debate sobre processos artísticos e os caminhos globais de circulação dos trabalhos artísticos.

Nesse encontro, João Fernandes e Carlos Garaicoa, que estarão especialmente no Brasil para debaterem sobre as expressões dessa dimensão sinfônica da cidade presente na obra do artista cubano. Entre os trabalhos que serão comentados, destaque para "Partitura", em cartaz na exposiçãoSer Urbano, uma composição musical com instrumentos de corda, sopro, percussão e cantores, orquestrados por um compositor, que reflete uma paisagem sonora das cidades e encontro dos sons imprevisíveis da urbe.

 

"Na obra de Carlos Garaicoa, a cidade foi sempre uma referência e um território de investigação. Garaicoa assume os fragmentos da cidade e transforma muitos dos vestígios que nela encontra. Muitas vezes as cidades foram vistas como sinfonias, como se aqueles que nelas vivem fossem solistas de uma orquestra que coletivamente constrói uma partitura a partir da interacção dos sons, imagens e quadros de vida que nelas acontecem", diz João Fernandes

 

Carlos Garaicoa é artista. Nascido em Havana em 1967, trabalhou como desenhista no exército, produzindo mapas, técnica que foi empregadas em sua produção artística, iniciada aos 22 anos, quando ingressou no Instituto Superior de Arte. Em seus trabalhos, reflete sobre os usos da cidade e as possibilidades de construir alternativas aos modelos hegemônicos.

 

João Fernandes é vice-diretor e curador principal do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia (Madrid). Foi diretor do Museu de Arte Contemporânea de Serralves.  Trabalhou como curador independente, período em que organizou três edições do Festival de Arte Contemporânea do Porto e fez a curadoria de várias exposições em Portugal, Espanha e França. Foi o curador das representações de Portugal na 1ª Bienal de Arte de Joanesburgo (1995), na 24ª Bienal de São Paulo (1998), e na 50ª Bienal de Veneza (2003), em colaboração com Vicente Todolí.

 

Datas e horários:  14 de abril, sábado, das 16h às 18h.
Inscrição gratuita.

 

****

 

Diálogos Poéticos - Dias 10 e 17 de abril

Série de encontros promove o diálogo entre especialistas e o público na elaboração de uma leitura crítica das obras da exposição. O intuito é oferecer critérios de aproximação do público com as obras de arte e assim promover não só o aprofundamento da experiência de fruição na exposição como também um desenvolvimento criativo e poético individual.

 

Fim de Silêncio com Marie Ange Bordas

"Fim de silêncio" (2017) é uma instalação do artista Carlos Garaicoa que recria o ambiente urbano das calçadas comerciais da cidade de Havana. Uma experiência sensorial e de linguagem que apresenta as frases e nomes das lojas bordados em tapetes, criando uma poética urbana inusitada que alude à história da capital de Cuba. Garaicoa subverte a experiência das esferas pública-privada ao utilizar mensagens presentes nas ruas em um elemento comum a ambientes internos, os tapetes - sobre os quais o público pode caminhar.

 

Neste encontro, a artista Marie Ange Bordas faz uma visita ao trabalho de Garaicoa, traçando pontes entre sua própria prática artística em diferentes partes do mundo e as cartografias afetivas propostas pelo artista cubano.

 

Marie Ange Bordas é artista plástica, pesquisadora e educadora. Desde 2000 trabalha internacionalmente na criação de projetos colaborativos de arte e mídia, enfatizando o cruzamento de linguagens e poéticas para construir processos criativos e críticos, adaptados aos contextos, saberes e fazeres locais. Debruçando-se sobre temáticas sócio-políticas (culturas tradicionais, deslocamentos, territorialidade) e paradigmas existenciais (memória, identidade em trânsito, perda) busca articular experiências pessoais e implicações sociais através da criação de ambientes instalativos, vídeos, paisagens sonoras e livros.

 

Datas e horários:  10 de abril, terça-feira, das 19h30 às 21h.
Inscrição gratuita.

 

****

Partitura, com Carlinhos Antunes

"Partitura" (2017) é uma instalação do artista Carlos Garaicoa, fruto de sua relação com diversos músicos de rua e compositores das cidades de Madri e Bilbao. A composição final é o resultado da paisagem musical destas cidades executada por instrumentos de sopro, cordas, percussão e cantores, numa orquestração urbana dos sons imprevisíveis da urbe.

Neste encontro, o músico Carlinhos Antunes faz uma análise da instalação musical de Carlos Garaicoa, apresentando parte do contexto político e histórico em que ela foi concebida e traçando a relação entre os elementos musicais que compõe uma linguagem imbricada de tradições de diversas origens.

 

Carlinhos Antunes é músico multi-instrumentista. É brasileiro e morou e tocou na Espanha. É responsável por projetos musicais como a Orquestra Mediterrânea e a Orquestra Mundana Refugi, ambos colocando em contato músicos de diferentes culturas partes do mundo em busca de uma afinidade musical nômade.

Datas e horários:  17 de abril, terça-feira, das 19h30 às 21h.
Inscrição gratuita.

 

****

PortoFabLab

Orientação de Projetos - PortoFabLab - de 4 a 25 de abril

O PortoFabLab recebe interessados em desenvolver projetos artísticos que dialoguem com linguagens digitais e novas tecnologias. Ao longo de quatro encontros, a equipe do laboratório orienta os participantes no uso dos equipamentos de fabricação digital para materializar suas ideias.

 

Em encontros semanais agendados, o objetivo é a elaboração e execução de um projeto a partir de métodos e dispositivos de fabricação digital. O laboratório disponibiliza uma equipe técnica de pesquisadores na área digital para acompanhar o desenvolvimento de cada projeto em todas as fases. Cada proposta deverá prever os materiais de consumo a serem utilizados durante o período de orientação.

 

O PortoFabLab é um laboratório de fabricação digital voltado às artes. Um espaço de interação entre arte e tecnologias digitais, com ênfase na exploração de novas experiências na produção artística. Estão disponíveis máquinas de comando numérico para a execução de modelos digitais em 2D e 3D, entre elas, cortadora a laser, fresadora de precisão, plotter cortadora de vinil e impressoras 3D. Além disso, o laboratório possui equipe especializada no desenvolvimento de projetos.

 

Datas e horários: 6 encontros agendados, de 2 horas cada, às quartas-feiras, entre 10h e 19h.

R$50 (inteira) e R$ 25 (estudantes, pessoas com mais de 60 anos, jovens pertencentes a famílias de baixa renda - 15 a 29 anos -, pessoas com deficiência - e acompanhante quando necessário - e professores, titulares, supervisores, coordenadores pedagógicos e diretores das redes públicas municipal e estadual de ensino).

Inscrições: pelo e-mail portofablab@espacoculturalportoseguro.com.br

 

****

Fabricação digital - de 5 de abril a 3 de maio

 

O curso apresenta conceitos da fabricação digital a partir das práticas do PortoFabLab, em uma abordagem que se volta para o funcionamento dos diferentes equipamentos e para os processos de elaboração e experimentação no campo das artes visuais.

 

Em quatro encontros introdutórios serão abordados os conceitos iniciais da fabricação digital a partir das experiências artísticas. Os participantes realizarão uma série de experimentos que buscam o entendimento dos processos e funcionamento de máquinas, a partir de diferentes métodos de manufatura assistida por computador, dentre as quais: as técnicas aditiva, formativa, corte 2D, usinagem 3D, bem como a exploração de referências aplicadas às artes visuais. É necessário trazer o próprio notebook.

 

O PortoFabLab é um laboratório de fabricação digital voltado à prática artística. Um espaço de interação entre arte e tecnologias digitais, com ênfase na exploração de novas experiências na produção artística. Estão disponíveis máquinas de comando numérico para a execução de modelos digitais em 2D e 3D, entre elas, cortadora a laser, fresadora de precisão, plotter cortadora de vinil e impressoras 3D. Além disso, o laboratório possui equipe especializada no desenvolvimento de projetos.

 

Datas e horários: 5 encontros semanais, às quintas-feiras, de 5 de abril a 3 de maio, das 19h às 21h30.
Vagas: 10 vagas.

Inscrições: gratuitas.

Classificação indicativa: 15 anos.

 

****

OpenDay PortoFabLab - de 6 a 27 de abril

Todas as sextas, o PortoFabLab abre as portas à visitação e à realização de projetos artísticos do público, utilizando os equipamentos do laboratório. Os participantes poderão conhecer mais sobre as máquinas disponíveis e enviar uma proposta para materializar seu projeto pessoal.

 

Durante o OpenDay, o público tem acesso livre ao uso do laboratório, equipado com dispositivos computacionais e máquinas de controle numérico destinados à produção artística e à experiência estética, na busca por um diálogo entre as artes em geral e novas tecnologias. Os períodos de utilização são agendados de acordo com as necessidades de cada projeto, a partir de uma proposta apresentada previamente, com desenho em arquivo digital trazido pelo participante e previsão de materiais de consumo a serem utilizados em cada máquina.

 

O PortoFabLab é um laboratório de fabricação digital voltado às artes. Um espaço de interação entre arte e tecnologias digitais, com ênfase na exploração de novas experiências na produção artística. Estão disponíveis máquinas de comando numérico para a execução de modelos digitais em 2D e 3D, entre elas, cortadora a laser, fresadora de precisão, plotter cortadora de vinil e impressoras 3D. Além disso, o laboratório possui equipe especializada no desenvolvimento de projetos.

 

Datas e horários:  de 6 a 27 de abril, às sextas-feiras, das 10h às 12h e das 14h às 18h
Vagas: 6 vagas em períodos pré-agendados, de 2 horas cada.

Inscrições: gratuitas pelo e-mail portofablab@espacoculturalportoseguro.com.br

 

****

Estêncil paramétrico - Dias 7, 14 e 28 de abril

 

 

Esta oficina pretende apresentar ao participante conceitos básicos de parametrização enquanto se produz um estêncil de seu rosto. A partir da fotografia digital a imagem será traduzida por parâmetros gerando uma malha reticulada para ser produzida na máquina de corte a laser.

 

A partir da fotografia do rosto de cada participante o arquivo digitalizado será interpretado por um software paramétrico gerando uma malha de grafismos compatíveis com a variação de claro e escuro da imagem original. O participante acompanhará o processo de configuração digital da imagem bem como a sua impressão na forma de um estêncil por meio da máquina de corte a laser. Cada participante poderá levar o seu estêncil para casa.

 

O PortoFabLab é um laboratório de fabricação digital voltado à prática artística. Um espaço de interação entre arte e tecnologias digitais, com ênfase na exploração de novas experiências na produção artística. Estão disponíveis máquinas de comando numérico para a execução de modelos digitais em 2D e 3D, entre elas, cortadora a laser, fresadora de precisão, plotter cortadora de vinil e impressoras 3D. Além disso, o laboratório possui equipe especializada no desenvolvimento de projetos.

 

Datas e horários: 7, 14 e 28 de abril, sábados das 10h30 às 13h.
Inscrição gratuita.

5 vagas por encontro.

 

****

Cursos

A cor na gravura em metal - De 5 de abril a 10 de maio.

O curso aborda a utilização da cor como elemento constitutivo da gravação em metal, aproveitando suas características de meios tons para a construção de um colorido a partir de seus atributos gráficos e elementos da pintura.

Apenas recentemente na modernidade a cor na gravura ganhou predominância em relação ao uso quase exclusivo do negro. A partir de uma análise de trabalhos em cores na história da gravura, o curso situa o seu uso como linguagem até os dias de hoje. Através de técnicas básicas de gravação e impressão - com uma ou diversas matrizes somadas - serão explorados os recursos expressivos próprios da sensualidade da cor na gravura.

 

O Ateliê Experimental é um laboratório de linguagens gráficas com ênfase na pesquisa e produção artística por meio de cursos e da vivência criativa. O ateliê dispõe de ferramentas para pesquisa em processos gráficos, como o desenho, a xilogravura, a calcogravura e a serigrafia, e nos processos alternativos de fotografia como o cianótipo e a goma bicromatada. Sua essência é o incentiva à expansão dessas linguagens artísticas e dispõe de instrutores para orientar os participantes nas diferentes técnicas através da experimentação, da troca de conhecimento e da poética no processo de criação.

Datas e horários: De 5 de abril a 10 de maio, às quintas-feiras, das 14h às 17h.

Inscrições: gratuitas, pelo e-mail atelieexperimental@espacoculturalportoseguro.com.br

Vagas: 10 vagas.

 

***

A cor na gravura em metal - De 5 de abril a 10 de maio

 

O curso aborda a utilização da cor como elemento constitutivo da gravação em metal, aproveitando suas características de meios tons para a construção de um colorido a partir de seus atributos gráficos e elementos da pintura.

 

Apenas recentemente na modernidade a cor na gravura ganhou predominância em relação ao uso quase exclusivo do negro. A partir de uma análise de trabalhos em cores na história da gravura, o curso situa o seu uso como linguagem até os dias de hoje. Através de técnicas básicas de gravação e impressão - com uma ou diversas matrizes somadas - serão explorados os recursos expressivos próprios da sensualidade da cor na gravura.

 

O Ateliê Experimental é um laboratório de linguagens gráficas com ênfase na pesquisa e produção artística por meio de cursos e da vivência criativa. O ateliê dispõe de ferramentas para pesquisa em processos gráficos, como o desenho, a xilogravura, a calcogravura e a serigrafia, e nos processos alternativos de fotografia como o cianótipo e a goma bicromatada. Sua essência é o incentiva à expansão dessas linguagens artísticas e dispõe de instrutores para orientar os participantes nas diferentes técnicas através da experimentação, da troca de conhecimento e da poética no processo de criação.

 

Datas e horários:  De 15 de abril a 10 de maio, Quintas-feiras, das 14h às 17h.

Inscrição gratuita.

10 vagas.

 

****

Colagravura - matriz e cor no desenvolvimento da imagem - De 10 de abril a 22 de maio

 

 

O curso explora formas e texturas para a criação de imagens através da elaboração matrizes de gravura a partir da sobreposição de diversos recursos de impressão em relevo.

 

A colagravura diferencia-se da técnica tradicional dos procedimentos de gravura por subtração nos quais a construção da matriz se dá pela subtração de material de uma base, como a xilogravura. Assim, dispensam-se as goivas e formões, para se realizar uma construção por adição, em que os materiais são colados em uma base para a elaboração da matriz de impressão. A colagem proporciona texturas e matérias, formas soltas ou geométricas facilmente acopláveis. O curso tem ênfase na busca pela imagem como resultante da sobreposição de recursos de impressão e da somatória de matrizes, superposições, e correlações entre tintas opacas e transparentes.

 

O Ateliê Experimental é um laboratório de linguagens gráficas com ênfase na pesquisa e produção artística por meio de cursos e da vivência criativa. O ateliê dispõe de ferramentas para pesquisa em processos gráficos, como o desenho, a xilogravura, a calcogravura e a serigrafia, e nos processos alternativos de fotografia como o cianótipo e a goma bicromatada. Sua essência é o incentiva à expansão dessas linguagens artísticas e dispõe de instrutores para orientar os participantes nas diferentes técnicas através da experimentação, da troca de conhecimento e da poética no processo de criação.

 

Datas e horários: De 10 de abril a 22 de maio, terças-feiras, das 14h às 17h.
6 encontros.

Inscrição gratuita.

10 vagas.

 

***

Arte, arquitetura, ambiente, alienação - De 17 de abril a 26 de junho.

 

 

Arte e arquitetura são dois campos do conhecimento que tem forte cruzamento na cultura contemporânea desde pelo menos os anos 1960. O curso investiga alguns dos modos recentes de produção artística em contato com a noção de 'ambiente', entendida como 'aquilo que nos cerca'.

De utopias ou distopias ecológicas até a produção de "paraísos artificiais", cada aula prepara um panorama dos anos 1960 até a atualidade, entre os campos das artes visuais, da arquitetura e da cultura popular. O curso será ministrado com apoio de imagens, vídeos e textos, e destina-se tanto a profissionais das artes quanto a estudantes e curiosos, sem que seja necessário qualquer pré-requisito no assunto.

Programa:

Aulas 1 e 2: Pierre Huyghe, a história dos jardins europeus e dos parques nacionais norte-americanos, e a recente onda do filme-catástrofe. Visita à exposição "Carlos Garaicoa: Ser Urbano".

Aulas 3 e 4: Robert Smithson, entropia e novas perspectivas para sustentabilidade.

Aulas 5 e 6: Os coletivos de arquitetura utópica da década de 70: Archizoom, Superstudio, Arte povera... o urbanismo nomadista, o ambiente sem objeto.

Aulas 7, 8 e 9: Infernos artificiais: as exposições surrealistas; Dalí e a bolha. Pipilotti Rist e Thomas Hirschhorn. Visita à exposição "Ismaïl Bahri: Instrumentos".

Pedro França é artista. Fez mestrado em História pela PUC-Rio, e atualmente dá aulas regulares sobre história da arte no MAM São Paulo e no Instituto Tomie Ohtake.

Datas e horários: De 17 de abril a 26 de junho, terças-feiras, das 19h às 21h30.

9 encontros.

Inscrição gratuita.

 

****

Ateliê Aberto

Ateliê aberto - De 6 a 24 de abril

Às sextas-feiras, o Ateliê Experimental convida interessados em utilizar seus espaços e equipamentos. Poderão ser trabalhadas diversas linguagens gráficas, como xilogravura, gravura em metal, carimbos e cianotipia.

 

Algumas técnicas de gravura e fotografia necessitam de aparatos e equipamentos que, muitas vezes, impossibilitam o trabalho em um ateliê individual. Entendendo a produção artística como campo de troca e experimentação, o Ateliê Experimental oferece seu ambiente e equipamentos de produção gráfica aos artistas e estudantes um dia por semana, entendendo o compartilhamento dos espaços e ferramentas como forma de contribuir para a construção dos discursos artísticos individuais.

O Ateliê Experimental é um laboratório de linguagens gráficas manuais, como a gravura e o desenho. Tem foco nas atividades práticas e na vivência em ateliê. Os instrutores orientaram os participantes sobre as diferentes técnicas manuais e referências da história da arte para a produção artística.

 

Datas e horários: De 6 a 24 de abril, às sextas-feiras, das 10h às 13h e das 14h às 18h.

Inscrições: gratuitas, pelo e-mail atelieexperimental@espacoculturalportoseguro.com.br

Vagas: 10 vagas.

 

****

Workshop

Histórias e imagens - 6 e 7 de abril

O fotógrafo Juan Esteves aborda a teoria e a prática da fotografia arquitetônica através da história dos edifícios do centro paulistano, com ênfase no bairro dos Campos Elíseos, tema da sua exposição em cartaz.

O workshop é dividido em duas partes, uma teórica e uma prática, em que são apresentadas as ferramentas básicas da fotografia de arquitetura, suas composições e técnicas, bem como um panorama histórico sobre essa evolução arquitetônica da região. Na parte prática, haverá um percurso fotográfico com os participantes, para captura de imagens, que serão projetadas depois para comentários. Os inscritos devem trazer uma câmera digital (ou smartphone), com aparato técnico que permitam a transferência das imagens para um computador.

Juan Esteves é fotógrafo. Teve trabalhos publicados em revistas, jornais e livros no Brasil e em países como Inglaterra, Espanha, Itália, China, Japão, Portugal, entre outros. Participou de mais de 200 exposições, entre individuais e coletivas, entre as quais se destacam o Museu de Arte de São Paulo (Masp), Museu de Arte Moderna de São Paulo (Mam), Pinacoteca do Estado de São Paulo, MoMA-PS1, Stadelijk Museum, entre outras.

Datas e horários: 2 encontros nos dias 6 e 7 de abril, sexta-feira, das 19h às 21h30 e sábado das 10h às 13h.
Inscrição gratuita.

15 vagas.

 

****

 

Educativo

Tapeçaria Coletiva - 7, 14, 21 e 28 de abril.

A partir de técnicas como colagem, bordado e pintura, aplicadas sobre algodão cru, os participantes são orientados educadores do Espaço Cultural Porto Seguro a confeccionarem um painel coletivo.

Os educadores do Espaço Cultural Porto Seguro conduzem a atividade com materiais como algodão cru, agulhas, linhas, tinta e papel. Os participantes da oficina irão confeccionar tapetes que sejam capazes de contar histórias e comunicar uma mensagem. Ao final da atividade, a produção será reunida numa colcha de retalhos coletiva.

O Educativo do Espaço Cultural Porto Seguro tem papel fundamental no desenvolvimento da relação entre a instituição e seus públicos, por isso trabalha de maneira comprometida com a formação continuada de seus educadores e com a construção de ferramentas que possam ampliar essa relação.

 

Datas e horários: 7, 14, 21 e 28 de abril, sábados, das 11h às 15h.
Grátis, sem necessidade de inscrição prévia.

 

****

Ateliê Experimental

Orientação de projetos  Ateliê Experimental - de 18 de abril a 23 de maio.

Às quartas, o Ateliê Experimental recebe interessados em desenvolver seus próprios projetos artísticos no âmbito da integração entre as linguagens gráficas. É oferecido apoio técnico, orientação e um ateliê equipado para gravura, cianotipia e outras técnicas.

 

Em seis encontros, os equipamentos do ateliê estarão disponíveis ao uso sob orientação dos instrutores, para o desenvolvimento e produção de projetos artísticos. O objetivo é incentivar a pesquisa e produção artística por meio da discussão de linguagem, da orientação técnica e do desenvolvimento poético. O programa está vinculado à viabilidade do projeto dentro do espaço do Ateliê Experimental, bem como à compreensão da proposta de possibilidades de técnicas disponíveis, na qual o participante é responsável pelo material de consumo individual a ser utilizado durante os encontros.

O Ateliê Experimental é um laboratório de linguagens gráficas com ênfase na pesquisa e produção artística por meio de cursos e da vivência criativa. O ateliê dispõe de ferramentas para pesquisa em processos gráficos, como o desenho, a xilogravura, a calcogravura e a serigrafia, e nos processos alternativos de fotografia como o cianótipo e a goma bicromatada. Sua essência é o incentiva à expansão dessas linguagens artísticas e dispõe de instrutores para orientar os participantes nas diferentes técnicas através da experimentação, da troca de conhecimento e da poética no processo de criação.

 

Datas e horários: 6 encontros agendados, às quartas-feiras, entre 10h e 18h.

R$50 (inteira) e R$ 25 (estudantes, pessoas com mais de 60 anos, jovens pertencentes a famílias de baixa renda - 15 a 29 anos -, pessoas com deficiência - e acompanhante quando necessário - e professores, titulares, supervisores, coordenadores pedagógicos e diretores das redes públicas municipal e estadual de ensino)

Inscrições: pelo e-mail atelieexperimental@espacoculturalportoseguro.com.br

 

****

Workshop

 

Desenhar na cidade - 21 de abril

 

Workshop de desenho de observação com o artista Paulo von Poser a partir de caminhadas pelas ruas. Um estímulo à exploração da cidade por meio da anotação e do esboço produzidos em contato direto com o entorno durante a caminhada, em desenhos de observação individuais e coletivos.

 

Para participar não é necessário saber desenhar. Haverá material básico de desenho para uso coletivo e os participantes também podem trazer os instrumentos e suportes de sua preferência. É recomendável o uso de roupas e sapatos confortáveis para a caminhada na cidade.

Paulo von Poser é artista visual, arquiteto, desenhista, ceramista, ilustrador e professor. Iniciou nas artes plásticas em 1976. Formou-se em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, em 1982. Leciona desde 1986 na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Santos e, desde 2007, na Escola da Cidade, em São Paulo. Ficou conhecido por seus desenhos de rosas em 1989, com a ilustração do calendário do Museu de Arte Contemporânea, MAC-USP, e posteriormente pelos desenhos retratando museus, praças e espaços públicos da cidade de São Paulo. Em 2007, desenhou sobre 5 painéis com 3.500 azulejos instalados entre as tradicionais bancas de flores da Avenida Doutor Arnaldo, em São Paulo. Em 2012, comemorou 30 anos de exposições com a retrospectiva "Trajetória", no Museu Brasileiro da Escultura, e a exposição "Floração", no Museu de Arte Sacra. Participou de mostras nacionais e internacionais, e seus trabalhos integram inúmeras coleções privadas e acervos de museus. Atualmente vive na cidade de São Paulo, produzindo, lecionando e também participando de causas sociais e urbanas, como o Parque Minhocão e o projeto Rios e Ruas.

 

Datas e horários: 21 de abril, sábado, das 10h30 às 13h.

Atividade gratuita, sem necessidade de inscrição prévia.

 

****

Cadernos de campo: a cidade sem imagem - Dia 21 de abril.

 

Como imaginar a cidade sem olhar? Esse encontro propõe um exercício de ampliação da nossa capacidade de compreensão do espaço da cidade e sua criação, por meio da supressão da visão como agente protagonista da imaginação.

 

De quantas maneiras é possível reconhecer uma cidade? Ao privilegiarmos a visão como base para apreensão do mundo ao nosso redor colocamos em segundo plano os outros sentidos - tato, olfato, audição e paladar. Com isso deixamos de lado também a ideia de que eles fazem parte da experiência urbana e que com isso nos auxiliam na construção das nossas próprias referências.

 

O exercício consistirá em realizar um percurso urbano orientado privado da visão e, a partir disso, realizar um relato da experiência aos demais participantes. A atividade será realizada em duplas a partir de roteiros preestabelecidos. A condução será orientada pela visão de parte do grupo, que em algum momento irá revelar a localização e inverter os papéis.

 

Ao final do exercício cada um descreverá a sua experiência ao restante do grupo, de modo a possibilitar que os outros compreendam o espaço em que ele esteve circulando. Somente após essa descrição lhe serão revelados os lugares visitados.

 

Helena Cavalheiro pesquisa e atua nas fronteiras entre arte, arquitetura e cidade. Graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRGS (Porto Alegre, 2008), desenvolve atualmente seu mestrado na FAU-USP. De 2012 a 2017, em associação com o escritório Metro Arquitetos desenvolveu projetos de expografia, arquitetura e desenho urbano, entre eles a Trigésima Bienal de Arte de São Paulo (2012-13), do Centro Aberto (2014), da nova Casa Triângulo (2016) e da reestruturação do Museu de Arte de São Paulo (2015 -16). Em 2017 entre outros realizou o projeto de arquitetura do Festival Plana no Pavilhão da Bienal, os projetos de arquitetura das exposições da 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo e o projeto da exposição Cumbica, do fotógrafo Tuca Vieira, realizada no terraço da Casa do Povo.

 

Datas e horários: 21 de abril, sábado, das 14h às 18h.

Atividade gratuita, sem necessidade de inscrição prévia.

20 vagas.

Inscrição gratuita pelo formulário. Caso o número de inscritos seja maior que o número de vagas, será feita uma seleção dos inscritos a partir de 2 de abril.

 

ESPAÇO CULTURAL PORTO SEGURO

Alameda Barão de Piracicaba, 610
Campos Elíseos - São Paulo
(11) 3226-7361

 

Horários:

Terça a sábado, das 10h às 19h
Domingo e feriados, das 10h às 17h

 

Capacidade: 305 pessoas

 

Acessibilidade: 
O edifício é acessível para pessoas com mobilidade reduzida. A exposição oferece atendimento especial na visitação com mediadores bilíngues em inglês, espanhol e libras mediante agendamento prévio.

Deixe Seu Comentário:

Gostou? Então compartilhe.