Home > Notícias do Centro > Notícias > Farol Santander inaugura “Metaverso”, exposição de arte imersiva

Farol Santander inaugura “Metaverso”, exposição de arte imersiva

11/06/2019

"Metaversø" valoriza artistas paulistanos que criaram obras inéditas para o edifício símbolo da cidade;Luzes de led, lasers, projeções e a própria vista de uma das janelas do prédio compõem algumas das instalações desenvolvidas

A partir de hoje (11 de junho) será aberta ao público a nova exposição de arte imersiva "Metaversø", no Farol Santander. Com curadoria de Antonio Curti, a mostra reúne cinco obras inéditas e preparadas especialmente para o espaço por coletivos e artistas paulistanos, como: Bijari (Horizonte Utópico), VIGAS (Aparato 101º), SALA 28 (Reta-curva), AYA Studio x Bloco (Mementos) e AYA Studio x Wesley Lee (Interlúdio).

Os artistas prepararam instalações imersivas e sensoriais que evidenciam as relações entre luz, tecnologia e arquitetura como manifestação artística. O objetivo é, por meio de técnicas de led, laser e projeções, a criação de um Metaversø: espaço onde o mundo virtual transforma-se em uma metáfora do mundo real. As obras baseiam-se na concepção de universos. A exposição também tem como objetivo elevar trabalhos tecnológicos ao status de arte.

"As novas linguagens não se limitam a novos aparelhos de uso pessoal: elas são capazes de criar sensações necessárias para a evolução da sociedade. A tecnologia como manifestação artística constrói os caminhos da arte e do futuro", pontos importantes sobre os diálogos que a exposição propõe destaca Antonio Curti, curador da mostra.

Desde a inauguração do Farol Santander, o 22º e o 23º andares, com 330m², recebem exposições de arte imersiva. Metaversø é a quinta mostra apresentada ao público, e permanecerá aberta até o dia 15 de setembro.

 

Metaversø  - obras

Horizonte Utópico, por Bijari

É uma experiência imersiva criada pelo coletivo Bijari a partir de uma ocupação do espaço pelo verde e tecnologia. Uma realidade alternativa em que a cidade é habitada por plantas e os humanos vagueiam como gigantes à deriva em vias sem automóveis. Um ambiente em construção tomado por andaimes, plantas e luz produz um espaço vivo e pulsante que se contrapõe à aridez cinza avistada através de uma janela. A ambientação tem trilha sonora composta por Arthur Joly e evidencia a relação entre a cidade real e a cidade possível - que nos questiona sobre qual horizonte queremos.

 

Reta-Curva, por Sala 28

As concepções de história, tempo e espaço estão constantemente sendo desafiadas. Com a utilização dos meios de luz e movimento, "Reta-Curva" propõe uma instalação que dialoga sobre esse processo, e como a relação entre espaço e tempo é capaz de acomodar e consolidar formas aparentemente nebulosas de maneira transparente. Através dos movimentos parabólicos hipnóticos e visualmente encantadores da obra, são mostradas ao público as possibilidades infinitas que estão na jornada da humanidade.

 

Aparato 10¹º, por VIGAS

Baseado em predições da existência de universos além do que conhecemos, VIGAS propõe uma experiência imersiva, questionando nossa percepção de mundo e as limitações visuais que nos impedem de transgredir as barreiras do universo observável. O artista utiliza uma instalação audiovisual que funciona como um aparato capaz de multiplicar a imagem do público inúmeras vezes, fazendo alusão à teoria de que, nesse exato momento, temos cópias de nós mesmos em universos paralelos ao que vivemos.

 

Mementos, por Aya Stuxio x Bloco

O duo de artistas propõe uma experiência que estimula a união entre o físico e o digital na sociedade contemporânea. O que os olhos não conseguem ver se torna evidência dessa conexão, trazendo à tona a dependência de ambos os contextos na construção do futuro da civilização. O real e o digital, aparentemente extremos distantes, mostram-se, na verdade, um equilíbrio necessário.

 

Interlúdio, por Aya Studio x Wesley Lee

Com o avanço exponencial da tecnologia, questionamentos surgem sobre o papel do ser humano e as novas soluções. A obra vai ao encontro desse pensamento, trazendo a importância da humanidade para a evolução e a necessidade de olhar para a matéria-prima que a produz. Máquinas não existiriam sem o ser humano, e os artistas propõem um momento para este questionamento ser evidenciado. Toda tecnologia necessita de uma mente e uma alma pulsando. 

 

Sobre os artistas

 

Bijari

Composto por um time de designers, artistas visuais e arquitetos, o Bijari existe há mais de 20 anos e está sediado em São Paulo. Os sócios Geandre Tomazoni, Gustavo Godoy, João Rocha, Maurício Brandão, Olavo Ekman e Rodrigo de Araújo pesquisam a convergência entre design, arte e tecnologia, tendo como objeto de interesse as narrativas, poéticas e conflitos que moldam e dão vida à paisagem urbana, seja para a criação conceitual de suas obras públicas ou em projetos para grandes players do mercado brasileiro e mundial em diversos segmentos.

 

Sala28

Sala28 (ou 28 Room) é um estúdio formado por Junior Costa Carvalho e Rodrigo Machado, de São Paulo, Brasil. O estúdio trabalha nos interstícios de arquitetura, design, luz, som, movimento e tecnologia. Desde 2013, tem expandido os limites do que é possível, utilizando tecnologia de ponta para criar instalações audiovisuais inovadoras e trabalhos interativos desenvolvidos para elevar e inspirar o mundo ao seu redor. Sua proeminência na cena de música eletrônica de vanguarda de São Paulo lhes rendeu reconhecimento

 

VIGAS

Leandro Mendes - VIGAS é um artista multimídia brasileiro com obras que transitam entre projeções de grande escala, instalações luminosas, produção sonora, projeções 360º e performance ao vivo. Seus projetos em public art destacam-se pela estética orgânica, trabalhando a imersão do espectador como ponto de partida a experiências únicas.

 

Aya Studio

Aya Studio é uma organização que dedica-se à criação de instalações artísticas audiovisuais que destacam o diálogo entre o mundo digital e o mundo real por meio de experiências imersivas. A partir de luz, som, arquitetura e design, os projetos resultam em experiências participativas e sensoriais que estimulam a conexão do humano elevando-o a um estado de imersão e descobrimento.

 

Bloco

Matheus Leston alia tecnologia e arte em projetos para marcas, eventos, instituições e artistas. Sua pesquisa relaciona e integra diferentes expressões: luz, cor, espaço, corpo, interatividade, som, fotografia e design. Bloco acredita que a programação não é uma ferramenta, é uma linguagem, que deve ser utilizada para a criação de novos caminhos e novas relações para o futuro.

 

Wesley Lee

Wesley Lee é um artista paulistano e designer baseado em Linz, Áustria. Seus projetos transitam entre instalações, iniciativas educacionais e design de objetos. Suas obras já foram expostas em festivais como Ars Electronica (Austria) e TADAEX (Irã).

 

Sobre Antonio Curti

Nascido em 1992, Antonio Curti é formado em Cinema pela FAAP. Aos 19 anos criou o festival audiovisual Downtown, cujo palco são locais esquecidos do centro histórico de São Paulo. Em 2017 tornou-se sócio da The Force, empresa de instalações de tecnologia na área de marketing e corporativo. Hoje está à frente da Aya Studio, organização de arte e tecnologia com foco em projetos culturais. Seu último trabalho foi a curadoria da exposição "Dimensão" com obras do duo Nonotak Studio na Japan House São Paulo. O curador tem como interesse o diálogo entre as artes visuais, tecnológicas e imersivas como agentes ativos de transformação humana, por meio de experiências que mesclam o real e virtual.

 

 

SERVIÇO: EXPOSIÇÃO "Metaversø"

Quando: de 11 de junho a 15 de setembro

Onde: Rua João Brícola, 24 - Centro (estação São Bento - linha 1, azul do metrô)

Site Farol Santander: farolsantander.com.br

Funcionamento: terça a domingo, 09h às 20h

Ingressos: site e bilheteria física no local

Ingressos: R$ 20 (visitação completa ao Farol Santander)

Capacidade por andar: 60 pessoas

 

Deixe Seu Comentário:

Gostou? Então compartilhe.