Home > Notícias do Centro > Notícias > SubSé e Ações Locais se reúnem para debater sobre ambulantes

SubSé e Ações Locais se reúnem para debater sobre ambulantes

05/09/2008

15/08/07

página inicial   | página anterior índice de notícias

 

Ações Locais se reúnem na Prefeitura para debater sobre segurança, ambulantes e pessoas em situação de rua

 

Rafael de Carvalho

Ações Locais na reunião com autoridades da área central, no auditório da Prefeitura

No final da tarde da terça-feira (15/8), um encontro promovido pelo subprefeito da Sé e secretário de Coordenação das Subprefeituras , Andrea Matarazzo, reuniu na Prefeitura o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, os comandantes das polícias Civil e Militar e Guarda Civil Metropolitana da região central e mais de uma centena de dirigentes de Ações Locais, coordenadas pela Viva o Centro. A segurança e o alto número de ambulantes e de pessoas em situação de rua foram alguns dos temas debatidos.

 

Participaram da reunião, além dos secretários, o coronel da PM, Álvaro Batista Camilo, o delegado da 1ª Delegacia Seccional Centro, Dejar Gomes Neto, o comandante da GCM, Rubens Casado, o coordenador de Segurança Urbana da GCM, Alberto Silveira Rodrigues, o secretário da Smads, Floriano Pesaro, dirigentes das Ações Locais e o superintendente da Associação Viva o Centro, Marco Antonio Ramos de Almeida

 

Rafael de Carvalho

Antonio José Ayres Zagatto e Marco Antonio Ramos de Almeida, da Viva o Centro, compareceram ao evento da SubSé

O coronel Rodrigues enfatizou que a região Central tem características específicas. ?Há 600 GCMs trabalhando na região.? Já o coronel Camilo, da PM, acredita que a palavra-chave para o Centro da cidade seja a parceria. ?Precisamos que as pessoas sejam os olhos da polícia.? Ele informou que estão sendo realizadas operações especiais nas avenidas Nove de Julho e 23 de Maio e que outras começarão no próximo final de semana. ?Teremos 200 homens nas praças da Sé e República e na Rua 25 de Março.?

 

Pesaro, da Smads, lembrou que a cidade possui cerca de 3 milhões de pobres e os que se encontram nas ruas do Centro são um número bem reduzido. ?Há uma concentração de serviços no Centro, mas estamos fazendo a descentralização do atendimento.? Ele pediu para que a população colabore com a Campanha ?Não Dê Esmola, Dê Futuro?, não comprando produtos de crianças.

 

No final do evento, os dirigentes das Ações Locais fizeram reivindicações quanto a melhorias no Centro, que foram ouvidas pelas autoridades que se comprometeram a analisar a viabilidade das idéias e colocá-las em prática, se possível.

  

Deixe Seu Comentário:

Gostou? Então compartilhe.