Home > Notícias do Centro > Notícias > Viva o Centro recebe representantes de organizações para o desenvolvimento dos centros de Londres e Nova York

Viva o Centro recebe representantes de organizações para o desenvolvimento dos centros de Londres e Nova York

27/06/2006

Viva o Centro recebe representantes de organizações
para o desenvolvimento dos centros de Londres e Nova York

 

A Viva o Centro recebeu na segunda-feira (26/6) Patrícia Brown, de Londres, e Carl Weisbrod, de Nova York, representando organizações dedicadas a transformar os centros dessas cidades em lugares de excelência para se trabalhar, morar, passear e investir, algo que tem tudo a ver com a Associação Viva o Centro, entidade que há 15 anos trabalha pela requalificação do Centro de São Paulo.

 

Fabio Mattos

Na Associação Viva o Centro, Patrícia Brown, presidente da Central London Partneship, Marco Antônio Ramos de Almeida, superintendente da Associação, e Carl Weisbrod, fundador e ex-presidente da Alliance for Downtown New York

Patrícia Brown e Carl Weisbrod estão na capital paulista para mais um seminário da Secretaria de Relações Exteriores da Prefeitura dentro da série ?Aula São Paulo?, que será realizado nesta quarta-feira (28/6), às 10h, e fizeram questão de conhecer a experiência da Associação e propor um intercâmbio de informações entre as respectivas entidades. O seminário será às 10h, no Auditório do 7º andar da Prefeitura, quando os convidados falam sobre ?As PPPs na Revitalização de Centros?. Suas organizações têm grande experiência como articuladoras de parcerias público-privadas, além de ser mantidas graças a esse tipo de parceria que começa a se difundir no Brasil apenas recentemente.

 

Acompanhados de funcionários da Secretaria de Relações Internacionais, os visitantes foram recebidos pelo superintendente geral da Viva o Centro, Marco Antonio Ramos de Almeida, e assistiram a um audiovisual sobre a entidade exposto pelo arquiteto Victor Eskinazi e a coordenadora do Centro de Estudos, Lui Carolina Carvalho Tanaka, da Associação. Após, fizeram várias perguntas e se mostraram principalmente interessados em saber como a Viva o Centro se mantinha, ficando surpresos ao ver que, por enquanto, é unicamente com as mensalidades de seus afiliados, enquanto as organizações que representam recebem verbas substanciais dos governos locais.

 

Outros assuntos de interesse dos visitantes foram as frentes de atuação da Associação em benefício do Centro de São Paulo. Eles pediram detalhes especialmente sobre cada uma das ?10 Propostas? que a Viva o Centro ofereceu à atual gestão municipal e quiseram informações sobre como as Ações Locais se organizavam e renovavam suas diretorias.

 

Fabio Mattos

Patrícia Bronw e Carl Weisbrod vendo áudio visual sobre a Associação Viva o Centro. Os dois irão palestrar na Aula São Paulo nesta quarta-feira (28/6)

Centros de metrópoles

 

Patrícia Brown está em São Paulo para falar sobre a experiência da Central London Partnership (CLP), organização que promove mega parcerias público-privadas, reunindo os mais diversos atores com o objetivo de implementar melhorias no centro londrino. A finalidade é que a área central da capital inglesa se transforme em um lugar em que as pessoas queiram estar e fazer negócios.

 

O papel da CLP, como explicou Patrícia, tem sido o de forjar alianças entre o governo, empresas e agências públicas para enfrentar desafios nas áreas de mobilidade urbana e atração de investimentos. A organização também formulou novos meios de gestão das ruas do centro de Londres, segundo um modelo que se assemelha ao das Ações Locais, aqui em São Paulo, embora nunca tenha havido qualquer contato anterior entre a Viva o Centro e a CLP. Lá, como aqui, as pessoas que trabalham e moram no Centro se organizam para abastecer o poder público de informações sobre problemas locais e sugestões para resolvê-los, com a finalidade de melhorar a zeladoria urbana.

 

Fabio Mattos

Viva o Centro acolheu estrangeiros que irão à Aula São Paulo, e mostrou suas 10 propostas a administração municipal e o trabalho com as Ações Locais

As estratégias da parceria público-privada, no caso novaiorquino, foram decisivas para a recuperação do Times Square e da baixa Manhattan, segundo Carl Weisbrod, que fundou e é um dos ex-presidentes da Alliance for Downtown New York (Aliança para o Centro de Nova York). A organização promove serviços de segurança e saneamento suplementares, desenvolve atividades com o fim de atrair investimentos para o desenvolvimento econômico, produz serviços de planejamento urbano, design e transporte, faz programas de marketing e de intensificação do turismo e eventos especiais para preservar a vitalidade da área central.

 

Segundo Weisbrod, a importância da Alliance cresceu ainda mais após o 11 de setembro, ao direcionar toda a sua energia para o fortalecimento do coração de Nova York, que fora duramente atingido.  Manhattan não perdeu o vigor, os negócios continuam prosperando e os habitantes não pensam em se mudar.

 

As três entidades finalizaram o encontro assumindo o compromisso de promover um intercâmbio de suas realizações, projetos e idéias, como forma de contribuição mútua para o incremento de melhorias nesses três centros urbanos. Os sites das organizações visitantes da Viva o Centro, que nesta quarta fará a cobertura da palestra no programa ?Aula São Paulo? para este informeOnLine, são: www.c-london.co.uk e www.downtownny.com.

 

Deixe Seu Comentário:

Gostou? Então compartilhe.